sexta-feira, abril 15, 2011

Em defesa dos frascos e dos comprimidos

Por Lilian Buzzetto 

  
Tenho uma colega em depressão. Ela não está triste porque tomou um pé na bunda, o chefe é um boçal e a calça jeans não entra. Não, a moçoila foi clinicamente diagnosticada, farmacologicamente tratada e, de acordo com seu psiquiatra, apresenta o quadro clássico que segue cada linha do que está escrito nos manuais e tratados da especialidade. Para todos os fins e por todos os meios, ela está doente.

Meu lado racional conversa comigo, argumenta, expõe dados, fatos e fontes tentando fazer com que o lado negro da minha alma se compadeça da situação, mas eu não consigo. Opto por me afastar de pessoas deprimidas e depressivas, pois, no fundo, acho-as deprimentes. E isso parece ser mais forte que eu!

Sou um desastre para consolar pessoas – cada frase que eu digo, tentando ajudar, faz o ser afundar ainda mais e costuma resultar em berreiro. Sou potencialmente nociva aos oficialmente deprimidos que se acham inúteis, uma vez que, por mais esforço que faça, vou deixar transparecer que – no fundinho do meu coração – concordo com o fato de que a pessoa é um desperdício de espaço no planeta e uma involução da raça humana.

Eu + Sujeito em Depressão = tendência ao suicídio.
E – desconfio que – EU + Sujeito Suicida = O último pulando do prédio.
[Nota mental: não me voluntariar a posto no CVV].

Podem me apedrejar: EU CONCORDO, APÓIO E FORNEÇO AS PEDRAS. Longe de mim, pensar que estou certa na questão, mas é assim que meu subconsciente ou o que quer que me defina em camadas mais profundas encara a coisa.

Minha mente funciona de maneira turrona e obtusa para algumas coisas e encaro a Teoria da Evolução mais a ferro e fogo do que ela merece. Quando ouço que alguém se trancou em casa por causa da depressão, concluo que é melhor que este humano se mantenha recluso, com menos risco de se reproduzir. Cada vez que ouço que, num caso extremo, alguém se suicidou ou tentou o suicídio, a frase “o mundo não perdeu nada de útil” inunda minha mente antes que eu consiga racionalizar qualquer ponto.

Talvez eu pense assim porque os transtornos psiquiátricos e psicológicos estão banalizados. Tenho a ligeira impressão de que se somarmos o número de pessoas que alegam estar estressadas, estafadas, deprimidas, com síndrome de vai-saber-lá-Deus-o-que, excederemos 7 bilhões de pessoas.

- Meu filho tem hiperatividade. 

Não, peã, eu conheço teu filho desde que nasceu. O que teu filho tem são sete anos, aquela fase insuportável e mal educada, que parece ser causada pela perda dos dentes da frente: e que gerações anteriores de papais e mamães solucionaram com meia dúzia de tabefes, muito choro e zilhões de horas sem poder brincar lá fora. Mas controlar o pimpolho com Ritalina é mais fácil que educar, né? 

 A sociedade anda dando a todas as fraquezas humanas um nome bonito, uma explicação minuciosa e um remedinho - o que seria ótimo se fosse encarado como forma de melhorar, curar, tratar. Mas o que vejo é que toda vez que um sujeito fracassa, tem um especialista para explicar e justificar o erro.

Bebe demais e não tem um pingo de força de vontade: é doente. Chora o dia inteiro e não tem vontade de viver: é doente. Não consegue se relacionar com os outros seres humanos: é doente. Come demais e está obeso, é doente. Matou a mãe, é doente. Eu, tabagista, sou doente.

Aposquintodosinferno. Tudo agora é desculpa, tudo foi causado por alguém do passado ou por uma série de reações químicas em algum lugar obscuro do organismo. O que vejo é falta de gente querendo assumir sozinha e no peito, seus erros por suas decisões, fracassos e incompetências.  

Eu não consigo parar de fumar porque fui uma idiota em começar e agora tenho menos força de vontade do que o necessário. Ponto. Era minha culpa antes, continua sendo minha culpa agora. E o fato de eu não conseguir respirar quando subo quatro lances de escada é culpa minha – não da genética do meu pulmão, não do fabricante de cigarros.

A maior parte dos gordinhos que conheço está acima do peso por comer como um porco, não por algo inevitável, hereditário e do mal.

A existência de “tratamento” para alguma situação negativa, não necessariamente transporta a pessoa afetada para o reino dos injustiçados. Existe tratamento para cárie, mas se você não escovar os dentes e tiver que lidar com um canal – a CULPA é sua – não é de Deus, não é do mundo, não é da sua mãe, nem de seus coleguinhas de pré-escola. É sua.

RESPONSABILIDADE. As pessoas fogem dela como meu dinheiro da minha conta corrente. A análise excessiva das relações de causa e efeito que afetam a psicologia humana tem criado – a partir de agora advertidamente, porque eu estou advertindo – uma série de muletas.

Você não fracassa na vida por não ser normal – até porque, já dizia um sábio qualquer, de perto ninguém é. Você fracassa porque erra, porque faz escolhas equivocadas, porque não é competente.

Você fracassa porque é um bosta.
PONTO.

E todos nós somos um bosta em algum momento, em algum aspecto. [Eu, em vários]. Ou será que TODA A HUMANIDADE ESTÁ DOENTE E INCAPACITADA? Se sim, fracassamos como espécie. Assumamos e miremos a extinção.

E nem venha me dizer que as pessoas são incapazes de assumir suas falhas porque a sociedade de hoje cobra de mais a perfeição e blá-blá-blá – porque eu e você somos indivíduos com livre arbítrio para reagir às cobranças e intempéries como assim nos aprouver. E se eu der errado: a culpa é só minha.

PS: Peço aos que tiveram que lidar com casos extremos das supracitadas doenças, minhas sinceras desculpas – mas não me apareçam todos dizendo que têm um ou mais desses transtornos encavalados ou conhecem alguém ou tem. Não entra na minha cabecinha tacanha que quase a totalidade da população mundial não seja capaz de assumir o que faz, o que é e onde cagou no pau. Vai um papel higiênico aí? 


45 comentários:

  1. Sempre acreditei que somos responsáveis por nossas atitudes de todas as formas. Também sou péssima conselheira para deprimidos, na verdade detesto quem tem pena de si mesmo e por isso não consigo tolerar certos fracassos.
    Não abandono meus amigos, não sou tão insensível assim, mas quem me conhece sabe que perguntar algo é para ouvir o que realmente penso, não douro pílula e por incrível que pareça tenho muitooooosssss amigos, muito mais do que julgo necessário. Não sou boa em cultivar amizades, quem gosta de mim é porque gosta mesmo. E quem não gosta me é totalmente indiferente.

    Cara Lilian, por isso percebo que cada dia mais admiro você. Parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  2. cada um sabe o que faz e se quer ser feliz, seja

    se quer se foder, foda-se!

    ResponderExcluir
  3. Belo texto... Radical um pouco, ainda mais pra quem sabe causas bioquímicas, genéticas e etc pra algumas dessas doenças...
    Beijo
    @hugopt
    www. hugopt.blogspot.com
    Sem Anestesia

    ResponderExcluir
  4. As pessoas ficam depressivas, apartir do momento que acreditam que seus problemas exitem em um plano material... rs

    Legal a foto do seu túmulo. rs

    ResponderExcluir
  5. concordo plenamente com vc
    parabéns pelo texto não foi nem um pouco chato de ler

    ResponderExcluir
  6. Acredito que não entendemos determinadas situações por que de uma certa forma não passamos por ela;

    Parabéns pelo texto.

    Bom encontrar lugares na internet onde as pessoas pensam.

    ResponderExcluir
  7. Olá Lilian!
    Parabéns pela magnifica redação, escreves de uma forma admirável!
    Quem somos para apedrejá-la?
    De fato uma pessoa em depressão causa um certo mal estar em pessoas que curtem a alegria, a força em viver, mas depressão merece todos os nossos cuidados, se temos um amigo nesta situação um ombro amigo é sempre bem vindo.
    Há dois anos atras perdi um primo, ele havia se separado da esposa, ela entrou em depressão, num belo dia vespera de natal meu primo foi visitá-la e não saiu de lá vivo, ela tirou a vida de meu primo e depois se matou. Triste, porém é realidade de muitas pessoas que acabam não se tratando da depressão.
    Que seu dia seja lindo.
    Beijokas, Beta de Santana

    ResponderExcluir
  8. Interessante, meio maldoso até, mas concordo em alguns pontos.

    ResponderExcluir
  9. SOU GORDINHO, TOMOS UNS DRINKLS E TENHO UMA VIDA SAUDÁVEL. ISSO NÃO FAZ DE MIM UM DOENTE. MAS PRA SOCIEDADE LÁ FORA, POR ESTAR ACIMA DO PESO,SOU DOENTE, É OSSO VIU?

    E CRIANÇAS SÃO HIPERATIVAS MESMO. ISSO É TÍPICO DA IDADE. CRIANÇA QUIETA É CRIANÇA DOENTE. ESSA HISTÓRIA DE QUE PRA TUDO TEM UM REM´DIO É COISA DE NEO-CAPITALISTA.

    ADOREI O POST.

    http://thebigdogtales.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. hiperatividade é algo bem tenso, odeio criancinhas barulhentas

    ResponderExcluir
  11. Adoreii Simplesmente adoreii seu Blog !

    http://devaneiros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Vou falar por um tempo fui o único aluno negro de uma escola particular cheia de 'play's' abusados. Bullying seria o nome que dariam hoje para o que eu passei. Eu chamei de incentivo para ter duas faixas pretas e descobrir que se amar é mais importante que a opinião alheia. Nunca chorei por isso mas, que foi uma merda foi..

    Depressão de verdade eu conheci quando perdi meu pai e ela não é chorosa, não precisa de desabafar é muito física e pouco psiquica, não é tristeza é não dormir é ter a pressão alta (aos 25 anos), é brigar por uma vaga de transito pq a raiva é mais fácil que a tristeza.. mas os bom quimicos ajudaram e tudo passa.

    O ponto central é se vc acha que tem uma doença se trate .. e para as mães de plantão vale a pena fazer seu filho se sentir uma vítima? Ou ensinar a ele a se amar e a ser esperto e não suportar abusos... (se bem que tendo 1,90 aos 14 como eu fica mais fácil parar com os abusos.. )

    Abs,

    ResponderExcluir
  13. Claro que as pessoas adoram se enganar, justificar seus defeitos, em vez de mudar de atitude. De um modo geral, você só disse a verdade...

    ResponderExcluir
  14. Entendo e muito o fato de algumas pessoas "darem" as costas para os pobrezinhos que sofrem com depressão, para ter depressão é necessário ter tempo e alguém que patrocine o problema. Estive dos dois lados da história e posso falar com propriedade. Quando minha mãe inventou de não querer mais viver, eu fui a que menos ajudei, porque eu estava muito ocupada cultivando meu emprego e batalhando a minha faculdade, então eu realmente não tinha tempo, e não entendia como a pessoa podia simplesmente não enxergar que aquilo não leva a lugar nenhum.
    Semestre passado, eu que tinha um certo tempo livre com o término da faculdade, somei meus problemas, os problemas dos outros (minha mãe) e um dileminha de "Caso ou compro uma bicicleta", mais o dilema "Não posso comprar o mundo" e foi o suficiente para querer dormir em tempo integral porque não sabia como resolver tudo.
    Felizmente eu não tive patrocínio da minha mãe em pagar minhas contas, ou da minha chefe em me achar coitadinha. Vi que a coisa ia ficar realmente feia se eu não desse um jeito, e não resolveria os problemas, e esse foi o remédio perfeito, assumir que eu não era capaz resolver meus problemas porque eu mesma não queria, é muito mais fácil fechar os olhos, esperar e achar que tudo vai se resolver num passe de mágica. Eu enfrentei minha paranóia e sei que ninguém ajuda ninguém, o necessário é que cada um se ajude, começando por colocar objetivos na vida e correr atrás do que se quer, ao invés de esperar tudo deitada na cama, lamentando a sorte e tomando um remedinhos para se anestesiar da vida.
    Sim, as doenças existem, mas a sociedade está perdendo bastante tempo em transformar tudo e todos em doente, porque para isto todos parecem ter tempo suficiente.

    Excelente texto, Lilian!

    Dani

    ResponderExcluir
  15. nao li o texto ainda, prometo le-lo em breve, estou sem tempo, passando apenas para dizer obrigado pelos comentarios em meu blog. Os desenhos Não são meus, apenas o roteiro. Tenho muitas ideias assim para tirinhas, mas nao sei desenhar(to treinando , em breve lanço a primeira, rsrs)

    Tenho muitas ideias de tiras em homenagens a vcs mulheres. :P beijão

    ResponderExcluir
  16. hahahahahaha vc fala de coisas sérias com um pouco de ironia e sarcásmo, é das minhas, hahahahahahaha. Chato é ler um texto grande e academico sem nehuma ironiazinha, vc escreve bem! Gostei muito!

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito do blog , obrigada pelo comentario e estou seguindo aqi tbm *-*

    ResponderExcluir
  18. Bem, é muito mais fácil justificar assim as falhas do que encarar os problemas de verdade! Então as pessoas entram numa bolha e se fazem vítimas (o mimimi). Cansa, dá vontade de mandar longe, dá!

    Reconhecer a doença e tratar ou buscar ajuda profissional é uma coisa, usar da doença para fugir dos problemas ou se esconder em frascos de comprimidos para que os outros ajam por você são outros 500!!

    Ótimo texto, me fez largar o frasco de comprimidos na lata do lixo e mandar todo mundo a pqp (a melhor parte, um tal de "se não pode vencê-los, una-te a eles"). Não que eu vá começar a mostrar os dentes e exalar felicidade nos quatro quantos da terra, mas posso governar minha vida e isso já é bastante. rsrsrs

    ResponderExcluir
  19. Algumas coisas são responsabilidades nossas, mas outras estão além do que possamos evitar, creio que o campo da emoções seja demasiadamente grande para que se possa ter uma certeza sobre algo, mas depressão a gente não sabe o que é até passar por uma. Mas tudo isso está também intimamente ligada à parte espiritual de cada um de nós... enfim, tenho pensamentos complexos em relação a isso, não vale a pena tentar entender.

    ResponderExcluir
  20. Estou aqui com um único proposito, dizer pra você da minha satisfação e alegria em te repassar dois selos que estão lá no nosso blog. Caso se interessar, é só retirar lá no blog. Seu blog é um dos blogs que merece esse tipo de reconhecimento, afinal é através dos selos que representamos nosso carinho por determinado blog. Um super e grande abraço pra você.

    ResponderExcluir
  21. Aplausos e mais aplausos pra você... Nietzsche curtiu isto.

    ResponderExcluir
  22. Delícia de ler o que tu escreve...
    E olha, sou bipolar diagnosticada, uso minhas pilulinhas mágicas só que não entro nesses frascos e comprimidos...apesarrrr da deprê me pegar desprevenida vez por outra, só que sem essa de mimimi.
    Alegria, alto astral,energia e uma ironia fina é tudo de bom...porque o buraco é mais em baixo!
    Bjk@@@@

    ResponderExcluir
  23. Bom dia Lilian!
    Cá estou mais uma vez para conferir as novidades e retribuir sua presença no meu blog. Pena tu não ter atualizado ainda, mas retornarei, podes ter certeza!
    Que tu tenhas um lindo Domingo.
    beijokas, Beta de Santana

    ResponderExcluir
  24. muito interessante,amei ler esse texto!
    http://dayse177.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. Talvez o fato de existir um 'tratamento' químico passe para o 'doente' passe uma segurança do tipo: estou tomando remédio e não precisarei entrar com minhas forças pra resolver o problema. Concordo com você, a vontade de viver é relativa com a capacidade de viver e de encarar os fatos de cada pessoa.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  26. Gosto de pessoas que expõe suas opiniões com personalidade, sem medo do que os outros irão pensar, e por isso gostei do seu blog e estou seguindo desde agora. Infelizmente quase todo mundo tenta arrumar uma desculpa para explicar um erro ou um descuido próprio, mas acredito em alguns casos de doença também, mas não como as citadas, matou a mãe é doente, come muito e fica com a bunda o dia inteiro sentada vendo televisão, isso não é doença, e sim preguiça de tentar mudqar algo nem tão difícil.

    ResponderExcluir
  27. Texto um tanto chatinho se se ler, mas ele diz a verdade. Acabei de ler e gostei. ^^

    ResponderExcluir
  28. ótimo texto. você teve coragem de dizer o que muitos querem mas têm vergonha. eu mesma, sou depressiva - diagnosticada, com remedinhos e tudo - mas quando estou na fase 'normal' não gosto de estar próximo das pessoas doentes desse mal. De fato, a depressão é deprimente. não tem como não se contaminar, ou eu, pelo menos, não tenho esse dom. na dúvida, o melhor é manter uma distância segura, sem deixar de dar apoio e procurar conviver com pessoas 'pra cima'.
    gostei do seu blog, vou seguir. se der, dê uma passada no meu e siga se lhe agradar :)

    http://naoestouestudando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  29. Charles Darwin seria um ótimo comentarista para esse texto... ;)

    ResponderExcluir
  30. Lilian!

    Como é que é? "Para evitar que o companheiro vá para cama com outra devemos lutar contra a venda de camas?" Com um comentário sagaz desses lá no blog do Samir é impossível não querer conhecer a autora!

    Cheguei aqui e me encantei. Parabéns!

    Já estou seguindo também. A sua escrita e suas idéias são um bálsamo em meio a um mundo medíocre.

    Fábio.

    ResponderExcluir
  31. "Longe de mim, pensar que estou certa na questão..."
    Acho que foi a frase do texto que mais concordei. Algumas palavras são duras demais e desconhece a gravidade de algumas situações de depressão, não porque eu tenha depressão, mas por que convivi com um caso inimaginável pra muitas pessoas e que hoje, depois de curada, faz muito, muitíssimo bem, talvez não para humanidade como um todo, mas pra muitas pessoas concerteza.
    abraços

    ResponderExcluir
  32. "Eu + Sujeito em Depressão = tendência ao suicídio.
    E – desconfio que – EU + Sujeito Suicida = O último pulando do prédio. "
    Não consigo aprar de rir hudaadhusadhsu
    Mto bom o blog, o ponto de vista que você coloca nas coisas é bem original
    parabéns

    ResponderExcluir
  33. Ok.Talvez não seja seu comentário preferido, até por que será mais um "depoimento" mas, você supera, se não superar procura um psicólogos rs!

    Já tive início de depressão, com direito a sessões com psicólogos, psiquiatra e tomar a famosa fluoxetina, famosa por que a impressão que tenho é que essa pílula é consumida na mesma proporção que pão!Sério!
    É uma das minhas melhores amigas e sinceramente, o jeito que você encara esse tipo de " mal da década" foi um dos fatores chaves para ter "início" de depressão e NÃO depressão.
    Você nunca me afundou nos problemas pelo simples fato de que " NÃO HÁ PROBLEMA QUE NÃO PODE SER RESOLVIDO" fácil assim !!! sempre me instigou com a mesma agressividade e honestidade (diga-se de passagem )que encara a coisa e que aqui deixou isso claro.
    Ser tua amiga foi um dos fatores chave e não o principal por que:
    FATOR CHAVE 1-O que você fez durante esta fase depressiva rsrsrs! Foi me dar uns tapas de "consciência", uns murros de "perai todo mundo tem problemas, resolve os teus você consegue vai!" e umas puxadas de "DEBORAH NÃO COMPLICA A COISA TODA".-
    FATOR CHAVE 2- Esses remêdinhos que vc me deu rsrsrsrs resultou em :Não quis ir mais para sessões, com psicólogos e psiquiatras não sejam profissionais que não mereçam respeito, pelo contrário eles merecem, por isso eles precisam cuidar de pessoas que realmente possuem problemas pscicos, seja lá qual for ... me formei em administração , não sei nada sobre esse assunto! Mas eu sou prova viva!!( se quiserem fazer estudos pagando bem , bora ) PARA MUITAS pessoas a depressão é nome que se dá para justificar que vc está se escondendo do seu problemas , seja lá qual for... nosso problemas em nossas mentes são sempre, maiores do que o dos outros, somatizados ao quadrado, por isso criamos na cabeça um problema maior do que realmente é! Não concordo que não deva ser levado a sério , mas pelo o individuo, não pelos outros, o ser humano na mesma medida que pode ser cruel pode ser auto destrutivo, então é perigoso para o próprio individuo, por isso o “doente” por assim dizer tem que vasculhar: seus medos, seus anceios, suas falhas e fracassos, acertos, burradas e presepadas separar, analisar, concentrar no que deve ser alterado, melhorado e excluído e Pronto vc está concertado.Deu certo para MIM, parei de justificar e busquei consertar, inclusive parei de fazer a “Fluoxe” uma muleta, putz estou nervosa assim, ou não paro de chorar por que não tomei ela!!
    Concluindo Se foi comprovado cientificamente que é uma doença ( por que foi) Penso que a cura não está em remédios a cura está EM VOCÊ parar de achar justificativa, achar soluções e VIVER BEM com o que TEM!!!

    Ótimo texto, ótima crítica! Sou sua Fã!

    ResponderExcluir
  34. Falando em depressão, juro que as vezes eu penso que tem gente que gosta de sofrer... Acha problema em tudo e não tem o mínimo de força de vontade para mudar as coisas e ainda diz que o mundo consipira contra.

    Adorei esse blog, parabéns! Estou começando o meu, colocarei o Mulherices em minha lista de indicados!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  35. A poucos dias disse pra uma amiga no mesmo caso de tal de depressão, que em ambos os sexos isso é falta de pica e ponto final. Mas hoje em dia acham chique colocar apelido em tudo, inclusive nesses pits patéticos.
    Adorei e torço que todos os frescos do mundo leiam teu texto.

    ResponderExcluir
  36. Apoiado! A incapacidade de assumir qualquer ato é ensurdecedora. Alias, qualquer mesmo. Não desvalorizando a merda daqueles que também fazem algo de bom e, no mais energético nivel da hipocrisia, se sentem reclusos em dizer. "Fui foda sim e fiz: mandei a Dilma tomar no cu." "Peguei teu namorado sim e o sexo foi animal." Pronto. Não. Ficam calados escondidos no medinho da critica. "Agora é tudo bixa..."

    Gostei do texto, minha companheira de habitos, se é que me entende.

    ResponderExcluir
  37. Muito radical, afinal sou filha de psicóloga e entendo o ponto de vista psicológico das carências do ser humano; e apesar de bastante ignorante (em relação ao conteúdo intelectual), gostei muito desse seu post, pois concordo em vários aspectos com a generalização de "doenças" e através delas a justificação da negação da responsabilidade e do medo da auto-suficiência!!! Repito, muito radical... mas cheio de sabedoria dos tempos da minha avó, e que pretendo aplicar quando tiver os meus filhos!!! ;-)

    ResponderExcluir
  38. hahaaha Ótimo o título então.. ADOREI!

    Também achei que teve um pouco de radicalismo, pois a própria ansiedade faz a pessoa comer mais e tal, o que progressivamente vai tornando uma doença e muitos outros exemplos. Mas com toda certeza há pessoas que se justificam em prol de suas ditas "doenças".
    Engraçado é que o pobre com doença de verdade ou de mentira tem que está na sua "lida" diariamente e carregar seu fardo sem psicólogos e blá, blá blá.


    Visita lá> www.meucadernodecoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  39. caracas falou tudo certinho!!!

    ResponderExcluir
  40. As correntes alternativas de medicina defendem q distúrbios como depressão são exagerados na sociedade ocidental pra garantir o lucro dos fabricantes de comprimidos.

    De qqer forma, há casos comprovados de disfunções físicas q impedem o funcionamento regular do cérebro, e referir-se a essas pessoas nos termos em q vc se referiu em seu post é tão cruel como condenar um paraplégico à morte alegando q sua condição atrasa o passo da humanidade.

    ResponderExcluir
  41. Olá
    tudo bom?
    Desculpa a demora,
    mas muito obrigada por participar do meu blog, fico mt contente!!!
    A respeito das tirinhas, sou eu qm as faço e agradeço os elogios!

    Gostaria de fazer uma parceria?

    grande beijo e uma otima semana!!!

    http://cabecafeminina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  42. As pessoas que encaram e assumem têm muito mais chances de se livrarem do mal do século. Muito triste. A banalização, como bem disse é algo ruim. E hoje toda e qualquer pessoa tem no mínimo dez transtornos...

    bj
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  43. De´pressão é algo extremamente sério!!! E o texto ta ótimo
    !
    http://oicarolina.wordpress.com/

    ResponderExcluir