sábado, novembro 27, 2010

Besta

Por Stella Benevides

Amiguinhas e amiguinhos do Mulherices. Não sei se vocês sabem, mas a Tia Stella já viveu um pouco mais do que a maioria de vocês. E chega um ponto na vida de uma pessoa – e isso vocês ainda não sabem – em que a gente é capaz de olhar para trás e avaliar com isenção as decisões que tomou no passado, assim, como se estivesse vendo um filme. A gente já se sente longe e desapegada o bastante do passado para isso.

Eu já fiz um monte de coisas nessa vida. Já entrei e saí de histórias, de trabalhos, ocupações, relações. Tantas que precisaria de um livro muito grosso pra contar. Tantas fases diferentes que, quando lembro, parece que estou lembrando a vida de várias pessoas. Comigo foi sempre assim: de repente, tudo muda. Quando vou ver, já estou em algo que jamais imaginei estar. Como agora, aqui, escrevendo pro tal do “blog”, sem nem saber direito que diacho é isso.

Mas uma coisa boa eu sempre consegui: só fazer o que eu quis e pelo tempo que quis. Só me manter dentro dos capítulos do livro da minha vida enquanto houvesse justificativa. Mas não pensem que foi assim por “sabedoria”, não. Foi muito mais por instinto, por temperamento. Ou por causa do meu gênio ruim mesmo. Ou pura sorte. O que eu sei é que posso até sentir saudade de coisas, épocas, eventos, pessoas. Mas frustrações eu não carrego, não.

Ultimamente eu me peguei pensando muito numa história acontecida há uns 50 anos atrás, numa cidade industrial da Inglaterra.

Era uma vez um mocinho chamado Randolph, que era bem amigo de um outro garoto chamado John Winston. Os dois ficaram amigos de outros dois meninos, chamados James Paul e George Harold. Os quatro gostavam muito de música, eram super fãs do Elvis e resolveram montar uma banda. E foi aquela coisa bem “anos 60”, rock and roll em botequins esfumaçados, jaquetas de couro, muita farra e pouco profissionalismo.

Pelo menos no começo.

Logo, como acontece em qualquer coisa que se faça em grupo, as cabeças mais privilegiadas começaram a se destacar. E assim, John Winston e James Paul tornaram-se líderes naturais da banda e, acreditando naquilo que faziam, conduziram o sonho deles rumo a algo maior. George Harold, embora mais discreto, era um sujeito dedicado e talentoso.

Mas o garoto Randolph era meio bola-murcha. Não que não fosse bom no que fazia. Dizem até que era muito bom. Mas, sabem aquele tipo que não se dedica, que está sempre ausente, que não participa, não se envolve, chega sempre atrasado? Que está sempre na aba, esperando pra ver o que acontece? Que não está nem dentro e nem fora? Pois é. Dizem que ele era assim. Pelo menos a versão mais aceita da história conta que o problema do Randolph era falta de uma coisa fundamental em tudo que se faça em grupo na vida: comprometimento.

E foi assim que um dia, quando a bandinha de rock já tinha até arrumado um empresário e um produtor fodão, concluiu-se que com ele não daria pra continuar. Randolph foi convidado a se retirar.

No mesmo dia, foram bater na porta de outro baterista, um sujeito que talvez nem fosse tão bom, mas era reconhecidamente profissional. Esse cara já era conhecido pelo apelido de Ringo Starr e a partir daquele dia, formou ao lado de Paul, John e George a maior banda de rock de todos os tempos, vendeu mais de 1 bilhão de discos, foi protagonista de uma revolução cultural jamais vista, ficou planetariamente famoso e estupidamente milionário.

Enquanto isso, Randolph Pete Best entrava para a história como aquele que poderia ter sido e não foi, símbolo daqueles que não aproveitaram as oportunidades que a vida lhes deu. Deprimido, fodido e desempregado, três anos depois, enquanto os ex-colegas explodiam no mundo inteiro com o histórico disco “Help”, tentou se suicidar, fechando as janelas e abrindo o gás. Mas nem isso o desgramado conseguiu. Alguém chegou e o salvou.

Depois seguiu sua vida de anônimo, com empregos comuns e pouca grana no bolso. De vez em quando aparece em algum evento, lançou um livro, dá umas entrevistinhas. Hoje, que já é um senhor grisalho, bem distante do dia em que perdeu a chance de ser um Beatle, costuma dizer que é muito feliz e que não se arrepende de nada. Talvez até seja verdade. O tempo tem esse poder. Mas dá pra calcular o tamanho da frustração que esse sujeito deve ter arrastado por décadas de sua vida?

Se a historinha da besta do Pete Best tem algo a ensinar é que, enquanto se está dentro de alguma coisa, ou deve-se dar o melhor ou que se caia fora, com convicção e por conta própria. Não espere pelo cartão vermelho. Se é pra fazer, que se faça com tesão. Ficar meia-bomba, meio aqui e meio ali, fazendo corpo-mole, esperando pra ver o que acontece, não é e nunca vai ser atitude que se preze.

E isso vale pra quase tudo.

Vale pro seu emprego, pra sua faculdade, pro seu grupo de teatro, pra sua banda. Vale pra tudo que se faça junto com mais gente. Vale pro seu namoro. Vale pro seu casamento. Vale até pra Tia Stella no Mulherices. Se for pra estar que se esteja por inteiro. Quando a coisa não valer mais a pena, quando você deixar de acreditar, quando um treco te causar mais aporrinhação do que prazer, pegue suas tralhas e se mande. Mas não espere levar um pé na bunda pra ficar de mimimi depois, se arrependendo pelo que não fez.

Serviu pra você?

Ótimo.

Então agora escolha quem você quer ser: Ringo ou Pete, besta.

59 comentários:

  1. Stella
    Me identifiquei muito com seu texto, ão sei sua idade, mas com certeza não é muito diferente da minha e de fato quando chegamos a este estágio da vida somos capazes de olhar para trás e avaliar com insenção tudo o que fizemos.
    Somos capazes também de lembrarmos desses meninos que formaram uma banda de música sem compromisso e que veio a ser a maior banda de rock de todos os tempos e ainda contribuiram para uma grande mudança no comportamento dos jovens da época.

    ResponderExcluir
  2. "ou deve-se dar o melhor ou que se caia fora, com convicção e por conta própria. Não espere pelo cartão vermelho. Se é pra fazer, que se faça com tesão."

    Faz sentido. Não dá pra ser intenso em tudo, mas em boa parte das coisas, o tesão em fazer é fundamental mesmo (e nem falo só de sexo).

    ResponderExcluir
  3. Vai ver... ser Beatle não seria tão legal...

    ResponderExcluir
  4. Te achei tão "zen" nesse texto, Stellinha! :)
    Bjo!
    Zizi

    ResponderExcluir
  5. Ahhh! vou ler amanhã!

    tô saíndo pra nanar!

    ResponderExcluir
  6. Às seis horas da manhã em um Domingo, último de novembro, já começo a ganhar presentes! X) Seu post! Que lindo, que dica legal! Gostei da abordagem. Eu costumo me chamar de cabeça dura, quando gosto de algo eu fico e pode vir colega, professor, reitor que eu não abro mão. Estou estudando marketing de luxo quando eu devia estudar 1000 coisas. Mas, ao meu ver é que depois que terminar de estudar isso eu encaixo nas apresentações de fim de ano. Sou bom no que gosto e acredito que terei êxito falando disso na sala de aula. Fui tentar engulir Six Sigma e não desce nem por milagre. ...kkk...
    Eu sou mais Ringo, quero ser Star! XD

    Beijos linda! Amei seu post!

    T+!

    http://neowellblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. A frustração foi tanta que tentou a morte. Deve ter sofrido mesmo. Sou bem exagerado nas coisas que faço. Hoje mesmo, estava na rua com uns amigos quando um deles falou: Vamos entrar nessa casa abandonada? Mesmo com medo disse VOU e fui. Depois subimos em uma torre de telefone. Senti vontade e fiz. As coisas devem ser exatamente assim.

    ResponderExcluir
  8. A vida da gente já é curta e não podemos ficar ali ou aqui perdendo tempo fazendo algo sem tesão algum. Se não nos comprometermos com o que temos no momento, estamos também tirando oportunidades de quem poderia estar ali dando o melhor de si e fazendo sucesso merecido.

    ResponderExcluir
  9. Concordo e me indetifiquei com varias partes do texto, acho que vo fazer um para resposta desse :D

    ResponderExcluir
  10. As vezes não entendia porque os Beatles eram tão bem visto e bem falados ou como chegaria numa idade em que nem o passado me afetaria mais. Vi tudo aqui.

    Abraço! ;)

    http://anpulheta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Uma bela chacoalhada Stella, até que serve bem pra mim no momento.
    Obrigada

    Edilene

    ResponderExcluir
  12. Gostaria de perguntar a Randolph o que ele entende por 'arrependimento'...

    ResponderExcluir
  13. Tia Stella, amei seu texto.
    Conheço algumas pessoas iguais ao Randolph...sem COMPROMETIMENTO.

    ResponderExcluir
  14. Tia Stellinha é mentora.
    Sabe o que fala, e fala do que entende.

    ;*

    ResponderExcluir
  15. É, o chapéu de orelhas de burros, ou melhor, de besta, serviu direitinho.

    ResponderExcluir
  16. Comprometimento... Palavrinha besta, mas sem isso, difícil sentir-se completo(a) na vida

    ResponderExcluir
  17. Agora sim. Atrasadíssimo, mas apareci!

    Bom, ótima história e exemplo a ser dado a quem quer algo na vida.

    Acrescentaria uma palavra: DEDICAÇÃO!

    Em soma com as que foram ditas, é questão de tempo para ser algo bem sucedido ou famoso.

    No mais, ótimo texto e desculpa a demora!

    ResponderExcluir
  18. Muito boa a história e o jeito como relacionou os Beatles á você. Parabéns!
    www.thingsithink123.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Adorei, nunca mais tinha passado por aqui, mas é sempre um prazer ler os textos do Mulherices. Esse foi fantástico, uma bela história para se ter como exemplo de como a gente tem que fazer as coisas por prazer, não apenas isso,mas com comprometimento e respeito ao trabalho dos outros.

    abraço,
    www.todososouvidos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. FAAAAANTASTICO seu Blog!! adorei e já vou segui-lo, muito obrigado por seu comentário em meu blog!

    Respondendo seu comentário, o investimento de marketing em paixões é tão positivo que o time ABC.FC este ano foi Campeão estadual, Campeão Brasileiro da Serie C e esta na final da Copa do Nordeste que ira acontecer nesta Quarta Feira (01/12/2010)contra o Vitória da Bahia...

    Acho que você vai achar interesante outros posts do Blog, segue o link da primeira parte!
    http://falandodemarcas.blogspot.com/2010/07/forca-da-cultura-sobre-marca.html

    Beijos e mais uma vez meus parabéns por um BLOG TÃO INTERESSANTE!!

    ResponderExcluir
  21. UAAAAAAU!
    Apesar de eu sempre pensar a respeito disso, textos e pensamentos tão puros sempre servem.
    Achei o texto muito, muito bom.
    Parabéns pelo domínio tão bom da linguagem e sentimentos.
    Seguirei o blog de vocês, sem dúvida!
    E obrigado pelo comentário em meu blog, já surgiram pensamentos novos por lá, se quiser checar.

    Mais uma vez, PARABÉNS!
    Beijos, mulherada ;*

    ResponderExcluir
  22. Vc's conseguem dar lição de moral sem serem chatas.
    Peço qu permitam-me ler o texto pro pessaol lá do meu trabalho, com as devidas referências é claro.
    abração gurias.

    ResponderExcluir
  23. muito bom, ótima lição...
    http://papodelagarta.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. muito legal o texto

    tudo devemos fazer com muita vontade para dar certo

    Mundo Irado

    ResponderExcluir
  25. Vim retribuir a visitinha! Se aventure mesmo...

    Cozinhar simultaneamente um brincadeira de criança e um prazer de adulto

    Pobre Randolph! Gostei da parte do f....

    Haha,muito descontraído seu texto! Vou passar mais por aqui!

    Boa semana e te sigo.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  26. Que bom este blog! Amei... Muito bom mesmo! Certamente voltarei mais vezes
    Bjoss!!


    Henrique Junior

    ResponderExcluir
  27. Texto ótimo. Parabéns pelo seu blog! Achamos ele muito completo e bem diagramado, porém falta você explorar melhor a publicidade nele. Para isso uma dica que damos é você participar de algum programa de afiliados, como o da Lomadee , para começar ganhar com a visitação de seu blog. Conheça mais sobre Marketing de Afiliados no link mais abaixo.

    http://blog.lomadee.com/2010/10/marketing-de-afiliados-uma-poderosa-ferramenta-ao-alcance-de-todos/

    ResponderExcluir
  28. realmente, uma grande historia a sua!! *O*
    e eu gosto muuito de Beatles! queria muito ter vivido essa época. *O*
    bjs
    http://oicarolina.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  29. Com certeza Ringo aproveitou uma grande chance não? muitas vezes deixamos passar chances que poderiam mudar nossas vidas, talvez até porque estamos com medo de sair da nossa zona de conforto para ter nossas vidas mudadas, ninguem aceita mudanças facilmente, senão a vida seria muito facil, não nos importariamos com amigos e parentes que morrem, pois são apenas mudanças, não nos sentiriamos felizes quando algo inesperado ocorreu, pois é apenas uma mudança.
    Portanto, devemos sempre prestar atenção em nossas decisões, e ter medo da mudança sim, pois nem sempre ela é boa, mas mesmo sendo ruim a estrada a proxima cidade pode ser exelente, não sei se me entende, mas para mim, é assim que funciona hehehe.

    Abraços,

    Marcos

    http://marcosilustra.blogspot.com

    ResponderExcluir
  30. Parabéns pelo Blog e sua temática.Sucesso!!http://alemdoarco-iris.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  31. Realmente eu não sou desta epoca maas até hoje ouço rumores desta grande banda... E há eu adorei o modo como você escreve.. Passa uma intimidade de como se o leitor te conhecesse a um tempão parabens

    http://projetosdeumlouco.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  32. nós temos que pensar nas coisas para faze-las para não carregar frustrações na vida mesmo. so good ;)

    http://maisqueindelevel.blogspot.com
    visita/comenta?

    ResponderExcluir
  33. Temos que pensar antes de agir para não se arrepender do ato cometido. Não há CTRL+Z na vida :)

    []'s
    blog.avoado.com

    ResponderExcluir
  34. Gostei muito texto. Além de ser informativo, é muito reflexivo e convidativo para tal. Nós, em certa linha da psicilogia, gostamos de dizer que devemos estar onde o deseja está. Tem tudo a ver com ser inteiro em cada coisa que se faz. Ser intenso. Meio Fernando Pessoa isso...
    Parabéns pelo texto e pelo blog.
    A mulherada aqui manda muito bem!

    ResponderExcluir
  35. O que posso dizer? que estou bobo? que conhecia essa história sobre Pete Best ,mas não tinha observado por esse lado !
    Oportunidades estão ai a toda a hora...
    Eita! Muito bom
    http://medicinepractises.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  36. Excelente forma de contar este fato...
    Não importa quantas vezes leia, quantas vezes reveja este fato.. ainda penso: Que anta! (ou besta) hehehe

    ;D

    ResponderExcluir
  37. Passei aqui para comentar em outro texto, já que nesse eu já tinha comentado, mas não podia deixar de registrar aqui duas coisas. Em primeiro lugar, o que esse texto mostra é que nem sempre todo mundo está preparado para aproveitar as oportunidades que aparecem a nossa volta. E que quando os caminhos se cruzam certamente não é por acaso. Segundo, quero agradecer pela visita e comentário no meu texto lá no fluindo.
    beijossss

    ResponderExcluir
  38. muito bom parabens
    faça uma visita
    http://rogeriocenifutebolclube.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  39. texto que vamos lendo, achanod interessante econtinuando a ler! rs adorei
    ahh AMEI o titulo do blog! bem legal!
    bjos


    http://maria-chuteira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  40. Stella como sempre maravilhosa...
    O que realmente vale não é dizer que não se arrependeu de alguma coisa que fez, é aprender com elas,mas o pior é que tem gente que gosta de dar murro em ponta de faca!

    ResponderExcluir
  41. Ficou frustado e tentou se matar, mas nem isso conseguiu, aaa tentou se matar nada, se quisesse teria se jogado da ponte, ou mesmo do jeito que ele fechou a janela e abriu o gás era só acender um fósforo kkk mas mesmo assim, ótimo texto! parabéns

    ResponderExcluir
  42. "Mas uma coisa boa eu sempre consegui: só fazer o que eu quis e pelo tempo que quis. Só me manter dentro dos capítulos do livro da minha vida enquanto houvesse justificativa."

    Muito bom o texto.. bem desenvolvido! tá ai, gostei..
    to seguindo!

    ResponderExcluir
  43. Eu aqui novamente. É sempre bom vir aqui! (:

    ResponderExcluir
  44. Sou fã de um clichê antigo, mas que cabe aqui: "se arrependa das coisas que fez, e não das que não fez". Afinal, só podemos viver com emoção cada capítulo do livro de nossas vidas se escrevermos o livro que reúne estes capítulos, com as nossas experiências... E "eu estava ali, mais um dia, sentado no sofá esperando a vida passar" não dá história nem uma crônica!

    ResponderExcluir
  45. Parabéns pelo blog.. estou te seguindo!

    Eu conhecia a historia do sexto Beatles.. vi naquele filme BackBeats.. onde o amigo de Lenon morre de cancer.. conhece esta historia?
    E a do rapaz que fez parte da capa do disco.. rs..

    Puts são tantas historias..rs.. e sempre aparece uma historia que a gente não conhece..rs..

    Obrigado por visita meu blog!

    Abraço,
    P.A.
    _______________________________
    www.preguicaalheia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  46. Stella, sabe o que é se identificar com uma escrita de cara? Acho fantástico quem escreve como fala, sem procurar palavras pra expressar a emoção do momento, bem assim na lata. Bacana demais tudo aqui, viu? Os frustrados, geralmente, são acovardados. Massa esse texto!

    Beijo.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  47. O cara simplesmente perdeu a chance de ser um Beatle. O q pode ser mais frustrante?? Grande texto como sempre,parabens.

    ResponderExcluir
  48. E como tem gente q só fica na "aba" dos outros, como vc disse, esperando pra ver o q acontece! É o q mais tem. Esse texto pode servir de lição pra muitos.

    ResponderExcluir
  49. Olá! Parabéns pelo seu Blog! Adorei!
    Já estou lhe seguindo!
    Aproveitando também para divulgar os meus Sites...
    Siga-me também!
    Tem Sorteio de natal por lá!
    http://www.martas-bgfs.com (Templates personalizados para Blogs)
    http://www.brilhosgifs.com (Gifs para Orkut e enfeites para Blogs)
    Abraços,
    Marta.

    ResponderExcluir
  50. Parabéns pelo texto... bastante detalhado... Adorei o blog... Sucesso!

    ResponderExcluir
  51. Stella vc e Liliam são minhas favoritas! Sempre sem medo de falar o que pensam. Genialidade está no dna de vcs..certeza!

    ResponderExcluir
  52. Pô "véia".
    Que saudade docê!
    Pode ir vomitar de nojo! rsrsrsrs
    Para você Stella, a reverência de sempre da tia Vivi que atualmente ouve um CD chamado Beatles para bebês na tentativa de educar o ouvido (e o resto) do ser que atualmente nada em seu ventre.
    PS: as sessões são intercaladas com outro chamado Chico Buarque para bebês, claro!
    Ambos são encontrados na americanas.com

    ResponderExcluir
  53. que tapa na cara. não quero ser a Besta. NUNCA!

    ResponderExcluir