sexta-feira, setembro 25, 2009

Eu estava lá

Por Vanessa Pinho


Eu estava lá. Mega produção. Esmalte. Chapinha. Perfume caro. Sorriso no rosto. Salto alto. Pretinho básico. Legal, tudo estava correndo bem. Festa. Amigos. Como diz o Lê: a gente precisa passar por todo tipo de emoção durante o dia, boas ou ruins. E eu, estava prestes a saber o que era isso.

- Eba! Ele chegou!

Mãos dadas. Beijinho no rosto. Combinamos a semana inteira sobre aquela festa. Eu estava feliz na condição de pseudo-namorada. Estava curtindo, tudo, intensamente. A festa começou a acontecer. Ele começou a acontecer mais do que a festa.

- Já falei pra você que tenho horror de gente que bebe demais e fica de olho vermelho, traumas de infância, já te expliquei isso.
- Mas eu não bebi.
- Bebeu sim.
- Quem vai levar o carro agora?
- Haaa, você!
- Suicida!

E enquanto eu ficava ali pensando que a noite tão esperada estava escorrendo pelo ralo feito meu xampu de salão caro, percebi aquele olhar vindo na minha direção. E não era um olhar vermelho. E não era um olhar desconhecido. Muito pelo contrário. Eu conhecia aquele olhar há pelo menos uns cento e quatro anos, e sentia, muita saudade dele. Era isso. Era como reencontrar aquele que foi par na quadrilha na 1ª. série, aquele que no dia da festa não vinha e você tinha que ficar de fora da dança. Era assim, um olhar que eu esperava. E tem mais: não era só um olhar. Era um cabelo sem a mínima pretensão de estar arrumado. Era uma conversa que poderia durar horas. Era um sorriso que parecia acabar com os problemas do mundo, com a corrupção, com as drogas, com a crise mundial.

Ele veio me cumprimentar. E eu fingia estar tudo sob controle. Eu já o conhecia, já tínhamos conversado um montão de vezes. Mas pra mim ele era imaginário, sabe? Ele já tinha me dito que existia, mas eu não acreditei. E pior que existia. Ou melhor. Não sei. Enfim, mil coisas.

Ele me abraçou e eu parecia ter sido transportada pro cenário da novela alma gêmea, da Globo:

- Nossa, que bom te encontrar aqui. [Clima de descontração é importante ainda que o coração esteja batendo no ritmo da bateria do Salgueiro].
- É verdade, tudo bem?
- Sim, tudo bem. [Haaa, claro, tudo muito bem, você tem alguma dúvida disso?]

E eu fiquei ali como se tivesse dado um stop no planeta, sabecomé? Eu queria que o mundo esperasse, vê se pode? Eu queria que todo mundo congelasse, que o som acabasse, só pra poder ouvir aquela voz que eu não conhecia. E nem que o palco caísse, eu sairia dali. O palco caiu.

- Hãinnnn Jesus! Se machucou?
- Não, tô bem, quase caiu em mim, mas tá tudo bem... [risos] - Então tá, vou lá. Bom te ver. [Ótimo te ver, maravilhoso, perfeito, mágico, inclusive].

E eu fui, mas meu coração ficou ali, puxou uma cadeira, sentou ao lado daquele moço e pediu um café expresso e uma água, por favor! Nós ficamos conversando a noite inteira por músicas:

"Penso naquele menino a cada manhã... Penso nele todo dia ele é minha alegria, ôO, ÔO, ôO!" [Cala a boca Ivete, já chega!]

"Amor da minha vida, daqui até a eternidade, nossos destinos foram traçados na maternidade..." [Não me enche Cazuza, não tá vendo que o clima já está estranho?]

Meu “par na festa” aparecia de vez em quando, verificava se eu estava viva e ia ao bar. Não necessariamente nessa mesma ordem. Eu olhava pro menino do sorriso calmante, pro meu relógio e pensava em ir pra casa e ficar pelo menos meia hora olhando pro nada, nessa ordem. Eu queria tomar um banho também. Sempre resolvi todos os problemas da minha vida no banho. Mas dessa vez, eu queria mesmo era voltar pro útero e ficar por lá, mais uns seis meses, pra ver se me colocam os sentimentos que faltaram. Desapego. Onde vende isso? Como eu faço pra ter? Eu precisava me desapegar.

Deixe que digam, que pensem, que falem, deixe isso pra lá, vem pra cá, o que que tem? [Haaa, não, aí já é demais. Fala assim porque não é com você, Lulu]

A festa acabou, o meu pseudo namoro também. Mas a esperança de ver aquele menino de novo só crescia. Hã? Claro que eu fui batizada, fiz até a crisma. Mas não posso fazer nada se minha cabeça e meu coração entram em conflito.

Eu deveria nesse momento procurar um padre, me confessar, algo assim. Mas vou deitar, ligar na Itapema, abrir um pouco a janela pra ver o vento balançar a cortina igual cenário de novela das oito e ficar ali, olhando pro bege da parede. Eu odeio a cor bege. Mas sobre isso eu falo depois.

Nunca me senti tão dividida, tão perdida. Estou me sentindo uma leitora da revista Capricho, enfim. Stella, só você pra me aconselhar.

40 comentários:

  1. Mtas vezes nos sentimos confusas, devemos procurar aprender com as coisas desagradáveis da vida... mas infelizmente é fácil aconselhar p quem tá de fora...

    ResponderExcluir
  2. Muito descontraído! hahaha
    Adorei!
    Ultimamente eu tenho praticado o desapego viu, colega? E sem pensar duas vezes... tem opotunidades que não dá pra perder!
    ______
    http://planetabandonado.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ih, cabeça e coração divididos, um pra cada lado ... sei bem como é!rs ..

    ResponderExcluir
  4. Chega de divisões, na proxima não perde tempo, a vida é pra ser vivida, e aproveitar cada momento é só um adicional !


    http://dupladameianoite.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. o pior é q sua vida realmente está uma mistura de revista capricho com novela das 8...

    BOA SORTE! ;-)

    vc escreve mto bem!

    ResponderExcluir
  6. esse blog é cheio de mulherices mesmo.as postagens desse blog são otimas,é por isso que eu o sigo

    ResponderExcluir
  7. POw Muito Hilario...

    Gostei deMais..

    Mulherices..haha

    tive até uma idéia de fazer um blog
    mas o nome seria MULHERENGO...rsrs

    falando nIsso..
    Nossa Vanessa tu é gata hein...rsrs
    Solteira ainda...^^
    vO mudar Floripa ...rsrs

    Eu sei fazer arroz e te ensino...rsrsrs


    Meu Anjo blog tá muito tOp tá..
    tOp igual vc

    Continue assim ke irei visitar Mais vezes

    bjaooo

    http://puroqi.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Adorei o teu blog! Tá super organizadinho e caprichado! Parabéns de verdade!
    Depois entra no meu! Abraços!

    http://britsource.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi guria....adoro gente do Sul, se for o Humberto Gessinger então!
    To "amiga virtuar" da KK...carinhosamente apelidada por mim de Kandanga (com K)....coisa do sitio, vc sabe!
    Adorei o texto Vanessa, mas há que se tomar muita champa pra suportar festa que cai o palco....sabe que tem música sertaneja pra isso né!
    caiu o palco...o palco caiu!!!
    Beijo! Achei seu twitter e seu orkut, to adicionando se me permite!
    Vivi

    ResponderExcluir
  10. Já percebeu uma coisa nos enfeitamos para os outros, mas não para nós mesmas.
    http://saudeecompanhia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Faço minhas as palavras de Mr. Andrógyni:

    "Chega de divisões.. na próxima não perde tempo, a vida é pra ser vivida, e aproveitar cada momento é só um adicional!"

    haha! =)
    Fora isso, mais um excelente texto, pra variar! Conquistaste-me (entre tantas outras coisas)como leitor.

    Beijos e muito sucesso, Dona do olhar hipnotizante.

    ResponderExcluir
  12. mas me conta...quem é esse menino encantado????

    ResponderExcluir
  13. Muito o bom o texto, dei algumas boas risadas.

    Estou pensando em escrever tb para o "Stella Responde!" Ó dúvida cruel... Oo

    CHINFRAS e TALS

    ResponderExcluir
  14. Já sei onde eu vvirei pra entender melhor o que se passa na cabeça das mulheres ;)

    ResponderExcluir
  15. Uma vez eu escutei uma frase q fez sentindo pra mim e claro deve fazer sentindo a todo mundo : "Só se é feliz akele q sabe o quer." Isso é mt facil de falar , mas por em pratica q é o problema, principalmente mulher q é mt insegura. rsrs Siga a sua intuiçao e encontre a sua felicidade!
    bjs!

    ResponderExcluir
  16. Adorei!
    Amo todos os textos que voces postam.Aprecio cada palavrinha, é como se entrasse e ficasse na minha cabeça!
    Ah, também preciso praticar o desaprgo

    ResponderExcluir
  17. Tambem queria voltar para o útero agora mesmo... E se você encontrar onde vende desapego não esquece de avisar!

    Adorei esse tal blog de vocês!

    E agora eu vou tomar banho... (Deus, jamais pensei que acharia alguem que resolve todos os problemas no banho)

    ResponderExcluir
  18. Gostei! e só tenho uma frase:
    fácil falar e díficil fazer.

    ResponderExcluir
  19. Que situação, hein?!
    Mas é sempre bom achar comforto em alguém... ou não... haha
    Mas o palco caiu?! Que doideira!
    iahsiashaihsiahsa

    E é fato que se recolher, ficar quietinha depois dessa é uma ótema!
    Sempre bom estar aqui!
    beijosss

    ResponderExcluir
  20. Nossaa adorei, me parece um amor de infância revivido.

    ResponderExcluir
  21. muito bom o texto...essas storias do coração vai longe ne srrsrs

    ResponderExcluir
  22. muuito boa a história, pra variar, você escreve muito bem, sempre mostrando a atitude feminina na blogosfera

    aahh, sobre meu post, pedi desculpa para todos, mas quem nunca disse algo do gênero que atire a primeira pedra né, apenas quisemos deixar com um pouco de humor, mas acho que não saiu do melhor jeito. ;/

    ResponderExcluir
  23. muito boa a história
    num sei si e pra ri ou chorar
    continue assim

    ResponderExcluir
  24. Muito legal a história
    shuashaushau
    Não acredito o palco caiu mesmo
    hsuahsuashuashausha

    http://ownedando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. Parece que esse garoto com olhar que resolve problemas não te ajudou muito com os seus ein? talvez um pouquinho de alcool, quem sabe?

    ResponderExcluir
  26. não me canso de vim aqui nesse blog
    cheeeio de mulheres bonitas e ótimas histórias ;p
    parabéns!

    ResponderExcluir
  27. É estranho esse conflito entre coração e cabeça, mas ambos nunca estarão harmônicos, afinal, nada é perfeito.
    E o cara fez feio em deixar você na festa, e ficar bebendo, coisa de moleque.
    E se você quer mesmo reencontrar o tal rapaz lá, vá atrás ué.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  28. Nossa! essas emoções de ficar sem fala, sem saber o que dizer, de dizer o que não quer dizer, de ficar lembrando cada mínimo detalhe depois. Quem nunca passou por isso atire a primeira pedra.

    ResponderExcluir
  29. dEMAIS A HISTÓRIA....

    GOSTEI MUITO DO SEU BLOG.. MUITO LEGAL.. ADOREI... ESTÁ DE PARABÉNSSSSS.. ÓTIMO TEXTO!!!!

    ABRAÇOSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  30. Ai, adorei! Me identifiquei com a parte dos probolemas com o pseudo namorado! Mas pensa, pelo menos teve o menino do sorriso calmante pra fazer a sua noite valer a pena :D

    Beeeeeeijos

    ResponderExcluir
  31. seu blog está fantástico,ótimos postes.mas ainda estou esperando sua visita http://desenhospoeisiascomportamento.blogspot.com/ abraços...me segue no twitter @nilsinho75.abraço.

    ResponderExcluir
  32. Hum, o palco caiu e o príncipe inicial aboborou-se, mas de qualquer forma o coração sempre migra para um novo sonho, uma nova expectativa: mulheríssimo. Beijos e montões de sucesso no blog!

    ResponderExcluir
  33. Sou do http://botecodeinutilidades.blogspot.com/

    Eu explico a foto, ao clicar nela ela abrira em outra janela, ai da pra ler a legenda da foto: ""O estudo é um aprioridade".

    Abraço!

    ResponderExcluir
  34. Olha a questão a grande dica é quando aprendemos a lidar com as situações contraditorias e que nos aborrecem,ai nossa vida melhora muito...

    ResponderExcluir
  35. Querida amiga avassaladora...Minha avó dizia: rapadura é doce masnão é mole! Estar divida será a sensação da maior parte de sua vida apenas por uma simples razão... precisamos escolher entre coisas... e sempre perderemos uma ao escolher...
    Prepare-se! Não dá pra ter tudo ao mesmo tempo.
    Para facilitar, deixe de lado o cenario de novelas e tente encontrar um homem comum... Se o olho dele ficar vermelho com um chopp leve na sua pochet um colirio Moura Brasil... principalmente se este homem existir de verdade.. e não apenas em suas fantasias.

    ResponderExcluir
  36. VANESSA ADORO SEUS TEXTOS...
    LEIO E RELEIO VÁRIAS VEZES, E REPASSO PARA MEUS AMIGOS... SÃO DEMAIS...
    ME IDENTIFICO
    BEIJOS

    ResponderExcluir